Jornalismo, Comunicação e Gerenciamento de Crises no Setor Petróleo

Entrevistamos Cristina Alves, ex-aluna da 33ª turma do MBP, jornalista.

foto-cris-alvesSobre a aluna:
Turma: MBP 33

Currículo:

Cristina Alves é jornalista com mais de 25 anos de experiência. Trabalhou no Jornal do Commercio, Jornal do Brasil e O Globo, onde foi editora de Economia por sete anos até 2014. Nesse período, desenvolveu e implantou projetos nas áreas de energia, finanças pessoais, sustentabilidade e defesa do consumidor. Como enviada especial, participou diversas vezes do Fórum Econômico Mundial, em Davos. É colaboradora das revistas “Conjuntura Econômica”, da FGV, e “Economia Rio”. Em 2015, fundou a agência Nau Comunicação, voltada para consultoria e assessoria de comunicação de empresas e produção de conteúdo. Graduada em Comunicação Social/Jornalismo pela UFRJ, tem MBA de Petróleo e Gás pelo MBP Coppe/UFRJ.

Profissão:Jornalista

Comecei o MBP pouco depois de deixar jornalismo diário, onde atuei por mais de duas décadas. O setor de petróleo e gás é o motor da economia brasileira e, sobretudo, da economia do Estado do Rio de Janeiro. Como jornalista, cobri e editei várias reportagens sobre empresas petrolíferas, abordando seus negócios e também seus acidentes. Por isso, quis me aprofundar e conhecer mais sobre essa indústria tão dinâmica.
O meu TCC foi sobre o maior vazamento de petróleo por acidente no mundo, no Golfo do México, em 2010. O vazamento no mar levou 87 dias para ser contido. A explosão e o naufrágio da plataforma Deepwater Horizon, onde atuava a British Petroleum (BP), causaram a morte de 11 trabalhadores e a destruição de vidas marinhas em quatro estados americanos. O TCC “Deepwater Horizon/Acidente da BP em Macondo: Estudo de caso sobre as estratégias e os erros de comunicação no maior acidente da indústria de petróleo” procura demonstrar como a petroleira britânica minimizou o acidente, culpou inicialmente seus parceiros (Transocean e Halliburton), manipulou imagens e não compreendeu a dimensão do estrago político que provocara. Portanto, é um relato sobre “o que não fazer” diante de uma crise. É uma análise feita a partir da cobertura da imprensa internacional sobre o caso. Mas também entrevistei especialistas no assunto, como o professor Marcus Vinícius Lisbôa Brandão, que esteve várias vezes no local do acidente. A parte boa é que o acidente fez com que a indústria mundial de petróleo alterasse seus procedimentos criando novos paradigmas de segurança, tema que também abordo no trabalho.
A grande questão é que todo o processo de comunicação de uma empresa com a sociedade deve começar muito antes de a crise se instalar. Esse é o verdadeiro gerenciamento de crise. O que o acidente em Macondo mostra é que a empresa não tinha planejamento adequado e também não teve agilidade para lidar com o que veio pela frente. Nem no Reino Unido, nem nos EUA. A BP ficou com sua uma imagem profundamente abalada, além das perdas financeiras que sofreu. Ou seja, não se preparar adequadamente para uma crise custa caro. A indústria de petróleo tem que lidar permanentemente com o risco de acidentes e é importante fazer isso com profissionalismo e transparência. E com antecedência.
Sim, fui aprovada para um Mestrado na PUC-Rio e agradeço imensamente o apoio dado pelo professor Gilberto Bruno Ellwanger, que foi o orientador do meu TCC e grande incentivador do meu crescimento profissional.
Foi uma etapa importante, sobretudo pela relevância e o reconhecimento que a Coppe/UFRJ tem no mundo acadêmico. Meses após iniciar o MBP, abri a agência Nau Comunicação, em fevereiro de 2015, e hoje, juntamente com minha sócia Regina Eleutério, atuo em assessoria para empresas, treinamento de porta-vozes e produção de conteúdo, como revistas e sites. A pós me ajudou a conhecer mais profundamente um setor que tem um efeito multiplicador na economia brasileira e fluminense. A prova disso é que o Estado do Rio está em crise financeira, sobretudo, porque não soube se planejar em relação à extrema dependência que tem dos royalties do petróleo. Mas isso já é outro caso para estudo…

 

Torne-se um Especialista